Por que não aproveitamos a água da chuva?

Crises hídricas históricas de Sudeste e Nordeste mostram a necessidade urgente de buscar alternativas à água potável

Muita chuva no Sudeste. Seca no Nordeste. Fenômenos naturais e comuns nesta época do ano. Porém, a falta de água que assola o Nordeste e a crise sem precedentes que vivemos no Sudeste em 2014 – e que pode voltar se nenhuma medida efetiva for tomada – são de responsabilidade do homem que, com planejamento e investimento, poderia evitá-las. Dentre as medidas que poderiam evitar essas crises, uma bastante importante é o aproveitamento da água da chuva. Segundo o engenheiro Fernando Pereira, gerente comercial da General Water, concessionária particular de água e esgoto, algumas medidas como  aumentar o reúso de água, reduzir as perdas e diminuir o descarte de esgoto nos mananciais, para que os mesmos possam ser aproveitados no futuro, são de extrema importância para que não faltem recursos. “A água no Brasil também é muito barata, o que estimula o gasto. Seria interessante aumentar as tarifas para que se reduzisse o desperdício”, diz Pereira.

Depender só da chuva para encher reservatórios é algo temerário. A Região Metropolitana de São Paulo tem uma disponibilidade hídrica muito baixa (150 m³/hab/ano, similar a Israel), o que faz com que o abastecimento seja muito dependente de fontes de água cada vez mais distantes e das chuvas. “Com o aumento das mudanças e da instabilidade climática, caso a região passe por um período de estiagem um pouco mais prolongado, é bem possível que haja uma nova crise hídrica. Além disso, o alto índice de perdas (cerca de 30%) e o baixo percentual de reúso contribuem para o cenário de insegurança hídrica”, afirma Fernando.

O que poderia ser feito para se aproveitar a água da chuva?

“Investir em obras para aumentar a captação e aproveitamento desta água”, responde Fernando. “Podemos citar Cingapura como exemplo: 100% da água da chuva é coletada e encaminhada para reservatórios, para posterior tratamento e abastecimento. Lá, nenhuma gota é perdida”, afirma. Fernando Pereira completa ainda dizendo que o aproveitamento de água de chuva é um pilar importantíssimo do gerenciamento de recursos hídricos no Brasil, mas tem uma vulnerabilidade: quando não há chuva, não há água. “Por isso, é importante que, em todas as esferas de abastecimento (público e privado), a gestão da água combine políticas de redução de consumo, reúso e aproveitamento de água de chuva. Desta maneira, é possível garantir o abastecimento tanto em épocas de chuvas quanto em épocas de secas”, conclui.

Sobre a General Water

Empresa fundada em 2000 para suprir uma carência intrínseca na região metropolitana de São Paulo: a escassez de recursos hídricos. A filosofia da General Water é proporcionar aos grandes consumidores de água a oportunidade de contar com seu próprio sistema de abastecimento, tratamento de esgoto ou reuso de água, implantado e operado por uma empresa especializada no desenvolvimento e operação de soluções customizadas de saneamento.

Ainda dentro da sua filosofia de trabalho, a General Water é responsável por todos os custos, riscos e responsabilidade durante todas as fases do contrato. Cabe aos clientes apenas arcar com a água/efluente produzida nos sistemas.

Informações: www.generalwater.com.br

Postagens Recentes

Deixe um Comentário