Esculpindo Ar com o Corpo

Ele dançou nas maiores companhias do mundo. Veio ao Brasil como coreógrafo no Teatro Municipal. Foi um dos precursores no país do método de consciência corporal e alongamento. Em suas aulas de dança no Rio de Janeiro reúne uma verdadeira legião de seguidores, que vai de bailarinas profissionais a estrelas da televisão. Suas aulas concorridíssimas são consideradas verdadeiras oficinas de corpo e de espírito. Quem é Jean Marie Dubrul? Por que suas lições transcendem os limites do corpo e impulsionam significativas mudanças de atitude e comportamento na vida dos alunos? É o que a cineasta Stefania Fernandes pretende responder com o filme “Esculpindo Ar com o Corpo”, longa-metragem em fase de captação de recursos sobre uma das figuras mais carismáticas do mundo da dança carioca. Para financiar o projeto, em parceria com a produtora Suma Filmes, Stefania criou um ‘crowdfunding’ (a popular vaquinha eletrônica). Para colaborar com o filme, basta fazer uma doação, de 18 de outubro a 14 de dezembro de 2016, pelo site: catarse.me/esculpindoar.

aula-danca

Hoje, Jean Marie dá aulas de balé clássico e alongamento na academia Sauer Dança, no Jardim Botânico. Entre suas fiéis alunas estão as atrizes Aline Moraes, Fernanda de Freitas, Leticia Spiller, a cantora Fernanda Abreu, entre outras. Mas chama a atenção também a presença de homens e mulheres de diferentes corpos e idades que nunca haviam entrado numa aula de dança. Dubrul também é muito procurado para preparação corporal de elenco em produções teatrais. A atriz Sura Berditchevsky, por exemplo, além de frequentar as aulas, contou com a assessoria dele no seu espetáculo “Cartas de Maria Julieta e Carlos Drummond de Andrade”. “Jean Marie desenvolveu uma filosofia própria de ensino da dança, que faz com que as pessoas estabeleçam uma conexão profunda consigo mesmas. Ele não trabalha só a técnica, mas também a emoção. E é assim que transforma seus alunos dentro e fora. Pretendo mostrar como isso acontece”, explica Stefania.

“Esculpindo Ar com o Corpo” é um desdobramento do curta-metragem “Jean Marie”, lançado em 2014, também com direção de Stefania: “Após as sessões, percebia a vontade das pessoas de saber mais sobre o Jean Marie, um personagem tão forte, carismático e que desperta tanta curiosidade”. No novo filme ela pretende investigar seu processo de trabalho, sua filosofia de vida, conhecer a experiência dos alunos e refletir sobre o corpo. O nome do projeto refere-se a uma das frases inspiradoras que Jean costuma repetir nas classes: “É preciso esculpir o ar com o corpo”. O orçamento total do filme é de R$ 50 mil. Na campanha de arrecadação de fundos, as contribuições começam com R$ 10. Dependendo do valor doado, há recompensas como aulas com o bailarino, massagem tailandesa, xícaras personalizadas etc.

QUEM É JEAN MARIE DUBRUL

Jean Marie nasceu em Lille, no norte da França, e foi criado em Rennes, na Bretanha. Ainda criança, assistiu a uma apresentação ao ar livre das estrelas da Ópera de Paris. A coreografia “Léchelle”, de Milko Sparemblek, fazia parte do espetáculo. Foi após essa apresentação que Jean Marie pensou: Quero dançar. Na pré-adolescência, tentou se inscrever no Conservatório de Rennes, mas foi rejeitado, pois tinha astigmatismo e usava óculos. Aos 15 anos tentou novamente e foi aceito. Teve suas primeiras aulas e, três anos mais tarde, mudou-se para Paris para se dedicar à formação como bailarino. Completou seus estudos com Nickolas Beriozoff e, ao longo de sua carreira, trabalhou com bailarinos como Anton Dolin, Rosella Hightower e Robert Cohan. Foi solista do Ópera Zurich e atuou em diversas companhias na Europa: Ballet de Marseille, Ballet de Nantes, Grand Ballet Classique de France, Ballet de Wuppertal etc. Paralelamente a sua carreira de bailarino, descobriu seu interesse por pedagogia e coreografia e, em 1967, começou seu trabalho como assistente de direção, professor e coreógrafo. Participou de diversos festivais, filmes e espetáculos em televisão. Em 1978, veio ao Brasil para apresentar o espetáculo “O triunfo de Afrodite”, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e, no ano seguinte, foi convidado para fazer parte da equipe do Municipal como coreógrafo e professor do corpo de baile. Mudou-se para a capital carioca e se casou com uma brasileira. Em 1982, foi nomeado professor do Balé da cidade de São Paulo. Em 1986, dirigiu a Companhia de Dança do Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Foi professor da Escola de Dança Angel Viana e da Companhia de Dança Regina Miranda. Atualmente, além de dar aulas diariamente, trabalha com preparação de atores.

 

EQUIPE DO FILME

Stefania Fernandes – Diretora

Bia Medeiros – Produção Executiva

Viviane Rangel – Fotografia

Vinícius Nascimento e Calí dos Anjos – Edição

Identidade Visual – Opre Criativo

Carmen Lima – Social Media campanha

Stephany Trindade – Designer Junior e edição campanha

Livio Leite – Edição campanha

 

SERVIÇO

Filme: “Esculpindo Ar com o Corpo”
Crowdfunding: catarse.me/esculpindoar
Período de captação: 18 de outubro a 14 de dezembro de 2016
Facebook: https://www.facebook.com/esculpindoar/
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=yMJ2b0pBmJw
Telefone:  21 98181 3868

Postagens Recentes

Deixe um Comentário